Quarta-feira, 26 de Setembro de 2007

(O meu dia) Aniversário

 

 

No TEMPO em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer.

No TEMPO em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a família,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a olhar para a vida, perdera o sentido da vida.

Sim, o que fui de suposto a mim-mesmo,
O que fui de coração e parentesco.
O que fui de serões de meia-província,
O que fui de amarem-me e eu ser menino,
O que fui — ai, meu Deus!, o que só hoje sei que fui...
A que distância!...
(Nem o acho...)
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

O que eu sou hoje é como a umidade no corredor do fim da casa,
Pondo grelado nas paredes...
O que eu sou hoje (e a casa dos que me amaram treme através das minhas lágrimas),
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo como um fósforo frio...

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos...
Que meu amor, como uma pessoa, esse tempo!
Desejo físico da alma de se encontrar ali outra vez,
Por uma viagem metafísica e carnal,
Com uma dualidade de eu para mim...
Comer o passado como pão de fome, sem tempo de manteiga nos dentes!

Vejo tudo outra vez com uma nitidez que me cega para o que há aqui...
A mesa posta com mais lugares, com melhores desenhos na loiça, com mais copos,
O aparador com muitas coisas — doces, frutas o resto na sombra debaixo do alçado —,
As tias velhas, os primos diferentes, e tudo era por minha causa,
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos...

Pára, meu coração!
Não penses! Deixa o pensar na cabeça!
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus!
Hoje já não faço anos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o for.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira!...

O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!...

 

Fernando Pessoa (Álvaro de Campos)

 

(Hoje é dia do ano mais importante para mim, o dia em que nasci. Diz a minha mãe, que foi um parto dificil (até nesse dia fui mau feitio, xiça!...), e que nasci por voltas das 8H15 da manhã!

Mas é à minha querida Mãe, que quero aqui deixar a minha sincera e mais que merecida homenagem, pelo sofrimento desses dias  que precederam o meu nascimento, (sim foram uns quantos dias de sofrimento para ela, eu ainda sou do tempo em que se nascia em casa). Mas acima de tudo pela Grande Mulher que foi, e, é. Pela educação que me deu, pela maneira que sempre me fez ver a vida, pelos principios que sempre me ensinou...Porque tudo o que sou hoje, a ela o devo... Mas também por tudo aquilo que passamos juntas, e foi tanto e tanto, que só nós duas é que sabemos. Por isso tudo, e muito mais que tu sabes Mãe...Obrigada por seres a Grande Mulher que és, e por estares sempre a meu lado... Um beijo.)

sinto-me:

publicado por SV às 08:15
| comentar
3 comentários:
De mil sorrisos a 28 de Setembro de 2007 às 10:46
Gaita, falhei o teu dia de aniversário por dois dias. Rsrsrsrsrsrsrrsrsrs De qualquer maneira ficam aqui os nossos desejos sinceros de muita saúde, boa disposição e muito amor em teu redor.
Beijos e Mil Sorrisos
Sandra e Laura
:o)))))))))))


De Mocas a 26 de Setembro de 2007 às 10:25
Muitos, muitos Parabéns! Que tenhas um dia muito Feliz!
Linda a homenagem à tua mãe ... justa e merecida!

Beijocas grandes e a soprar velinhas! Puf


De toda a 26 de Setembro de 2007 às 09:28
Parabéns!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Que tenhas um dia de aniversário muito divertido, cheio de surpresas, amigos e sorrisos. Confia que o futuro reserva momentos cada vez melhores porque alguém como tu, que vê a vida como tu vês, só pode ter recompensas a cada passo. Talvez os prémios tenham vindo, até aqui, disfarçados de algumas provações, mas quando voltares a fazer um balanço, vais ver que tudo tem um objectivo.
Gosto muito, muito de ti, querida amiga.
Mil beijos e sorrisos
Guida


Comentar post

Fotografar é...

...escrever com o coração e ler com a alma.

Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
27
28
29
30

31


Links

Posts recentes

O Caminho da minha Impuls...

Amigo

Vale a pena lutar?

Sentes, Pensas e Sabes qu...

Destino, Acaso ou Coincid...

Precious

Oceano Nox - Um bramido

O Mar Agita-se, como um A...

O Sorriso

(para mim) Será Eterna...

Arquivos

Julho 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Mais sobre mim


ver perfil

seguir perfil

. 2 seguidores