De Doce a 7 de Agosto de 2007 às 09:30
Tal como o pombo espera no alto do penhasco!
Também nós esperamos no alto dos nossos pedestrais feitos de cristal quebradiço.
Esperamos na esperança de a felicidade que um dia foi, no futuro voltará.
Nada é como era, e a nossa vida vai-se esvaindo a nossos pés. O medo do salto, de nos estatelarmos, de as nossas asas nao abrirem é imenso.
Duvidas percorrem-nos a alma, na imensidão do abismo o salto nem sempre é a melhor opcção, mas a unica.
Ainda assim olhamos á volta, procuramos por desculpas, razoes, culpados e outros afins...
No fundo, no fundo sabemos que um dia iremos saltar, a vontade é grande e o espirito humano assim o requer.
Ficar preso no penhasco já não é o que era, aquele cantinho que um dia foi maravilhoso, hoje não parece mais que uma prisão, da janela que olhavamos o abismo de onde viamos uma paisagem bela, hoje a paisagem é negra e a janela tem grades.


Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres